Divando

Melissa lança coleção Mapping para o verão 2018

Melissa5
Alma Baiana
Escrito por Alma Baiana

A nova coleção de verão da Melissa, que tem um toque geográfico no nome, Mapping, já chegou ao Clube Melissa Shopping Barra. Para a alta estação de 2018, a marca foi buscar inspiração na cultura da moda de lugares e não-lugares do mundo. A ideia é celebrar a diversidade e os contextos urbanos por meio da arte e do design.

Os produtos da coleção Mapping estão cheios de informações culturais e geográficas. A começar pelas palmilhas: elas trazem impressas as coordenadas dos lugares, como forma de sugerir um passeio virtual ou de representar a presença da marca em várias regiões do planeta. Os solados de todos os modelos formam, juntos, o mapa de Farroupilha, cidade gaúcha onde foram pensados e construídos.

Os nomes dos calçados são inspirados em lugares de referência de metrópoles como Tóquio e Nova York, além de cidades da França e da Rússia. A marca cruzou bairros, ruas e vielas destes locais, olhando ao redor para encontrar a inspiração dos novos modelos.

A coleção Melissa Mapping 2018 se baseou no conceito de que a metrópole define o relacionamento das pessoas – como elas se movem e se movimentam, como se expressam, como a cultura contemporânea traz novos significados para a “selva de pedra”.

A marca capta este momento em que as fronteiras são questionadas e a cartografia ganha novos olhares, em consonância com as transformações políticas e sociais e o desenvolvimento das tecnologias. O ambiente virtual traz novos modos de se registrar o que é visto e vivido nas cidades. Tudo pode ser mapeado: a rotina dos bairros, as condições de moradia, o poder aquisitivo, a dinâmica de conflitos sociais e hábitos de consumo.

Este mapeamento é, então, o ponto de partida para a criação Verão 2018: Mapping, da Melissa. A marca observa nos lugares mapeados que a arquitetura conta histórias, as indústrias refletem os avanços e até uma atividade cultural como o movimento orgânico projeta o trabalho de comunidades no mundo todo.

Os não-lugares, este novo conceito da vida urbana contemporânea, também tem seu lugar entre  os produtos. O logotipo da coleção é assinado pela artista visual Verena Smit, a partir do desenvolvimento de mapas de lugares fictícios. Eles podem surgir, por exemplo, como pontos efêmeros que nascem nas conglomerações típicas dos trechos das linhas de metrô.

Confira agora os bairros, avenidas e ruas que inspiraram e batizam  modelos da coleção Mapping:

Belleville

Modelo high-low inspirado no arrondissement francês, com suas ruelas bucólicas, o grafite e as lojinhas de arte.

Broadway

Com tiras finas e horizontais, tem uma vibe glam 70’s e é democrática como a avenida nova-iorquina que influenciou o pop, projetou divas como Bette Midler e Liza Minneli e continua gerando novos estilos musicais.

Daiknyama

O bairro que é considerado o Brooklyn de Tóquio é repleto de lojas alternativas, grafite e culturas diferentes, que dão um toque moderno aos prédios de arquitetura antiga. A Melissa que leva esse nome tem tiras que se entrelaçam e ganham a aplicação de fivela e furos, que lembram um cinto.

Dubrovka

A proposta aqui é conhecer o novo. A Rússia, de onde a palavra que denomina locais inabitados se origina, possui galerias de arte nos locais mais incomuns, como escolas de tecnologia abandonadas, fábricas e armazéns. Eles inspiram essa Melissa que segue o modelo clássico Oxford e tem ares masculinos em contraste com a feminilidade do salto.

Kazakova

A cidade russa, terra das Matrioscas – bonequinhas que se encaixam uma dentro da outra -, inspira o modelo cujo shape lembra um sapato de boneca.

Koenji

O modelo de detalhes minimalistas, e que contrasta uma platform robusta mas básica, tem como inspiração o bairro japonês boêmio e alternativo onde se encontram muitos brechós e araras com peças vintage de marcas contemporâneas e grifes de luxo.

Melrose

Esta Melissa para todas as paradas leva o nome da avenida do Bronx onde a comunidade desfruta de um cenário efervescente, com desfiles e eventos culturais como shows, teatros e coletivos.

Shibuya

Outro bairro de Tóquio, onde meninas Harajuku desfilam com modelitos variados,  denomina uma Melissa, desta vez com tiras horizontais e shape minimalista.

Soho

O bairro que melhor traduz o estilo de vida nova-iorquino, e onde se localizam lojas de marcas diversas, inclusive a Galeria Melissa New York, batiza um modelo que lembra um tênis, mas com a elegância e modernidade de uma platform de tiras largas.

Ulitsa

Esta Melissa convida para a rua. E rua é a tradução livre desta palavra de origem russa. A inspiração aqui é a arquitetura bizantina que decora com seus mosaicos e vidros brilhantes as cidades da Rússia, marcadas pelo construtivismo típico do país.

 

Sobre o Autor

Alma Baiana

Alma Baiana

O acontece de interessante na Bahia, cultura, sociedade, arquitetura, decoração, gastronomia, moda e entretenimento. E muito mais!!

Faça um comentário