Bem Viver

Dermatologista Andrea Botto alerta para cuidados com a pele no inverno

Alma Baiana
Escrito por Alma Baiana

O inverno, tempo mais frio e seco do ano, pede atenção redobrada nos cuidados com a pele, especialmente em meio à pandemia do novo coronavírus. Nessa estação, a pele transpira menos e o número de banhos quentes aumenta, contribuindo para a diminuição do seu óleo natural e, consequentemente, para o ressecamento e surgimento de algumas doenças e irritações cutâneas.

A dermatologista Andrea Botto reforça que bons hábitos diários, como proteção solar, mesmo em dias sem sol, hidratação da pele e dos lábios, ingestão constante de líquidos e alimentação saudável são fundamentais para garantir a saúde e a beleza da epiderme, principalmente entre idosos e crianças.

A médica explica que nessa temporada é comum a incidência de acnes, ressecamento da pele e dermatites. “Os cuidados com a pele devem ser mantidos criteriosamente em todas as estações do ano, mas é no inverno que a manutenção de hábitos de proteção não pode ser esquecida, além disso, com o isolamento social, as pessoas ficam mais suscetíveis ao estresse, contribuindo para agravar reações alérgicas e adversas no corpo. A lavagem frequente das mãos e uso de álcool em gel também contribuem para o ressecamento das mãos”, conta Botto.

O uso do protetor solar deve ser específico para cada tipo de tez e fazer parte da rotina para manter a pele saudável e bonita. A dermatologista reforça que a reaplicação não pode ser esquecida, pois os raios ultravioletas continuam trazendo efeitos nocivos à pele mesmo em dias mais nublados.

Neste período, pelo menos uma vez ao dia, sempre após o banho, pessoas com peles normais e levemente ressecadas precisam hidratar o corpo. Aquelas com maior tendência ao ressecamento devem aplicar os cremes de 2 a 3 vezes ao dia. A pele deve estar sempre limpa e a quantidade de creme deve ser apropriada para não deixar a tez oleosa.

“Não podemos esquecer que os idosos e as crianças são os que mais sofrem com os efeitos do frio na pele. Aqueles que precisam ficar mais tempo em ambientes fechados e sem circulação de ar acabam ficando mais suscetíveis ao aumento da exposição da pele às bactérias, alergias respiratórias e doenças, entre elas, as dermatites seborreica e atópica, psoríase, herpes simples e a ictiose vulgar, que causam incômodo, coceira, descamação e precisam ser acompanhadas por um especialista”, destaca.

Assim como o rosto, lábios, unhas, orelhas, extremidades e cabelos também devem ser hidratados e protegidos. Apesar do uso da máscara facial para evitar a disseminação do novo coronavírus, a proteção solar deve ser diária e reaplicada, assim como a hidratação.

“Principalmente nesse período de pandemia, a rotina de cuidados com a pele deve ser prioridade, iniciando com a limpeza, seguindo com a tonificação, hidratação e proteção solar. Sempre antes de dormir, a pele deve ser totalmente limpa, ainda mais nesses tempos em que passamos praticamente o dia inteiro usando máscara, o que contribui para o surgimento de acne, vermelhidão, rosácea, aumento da oleosidade e descamação na área coberta do rosto. Outro cuidado fundamental é realizar a troca de máscara, sempre seguindo as orientações da Organização Mundial da Saúde”, orienta.

Na foto, Andrea Botto (divulgação)

 

Sobre o Autor

Alma Baiana

Alma Baiana

O que acontece de interessante na Bahia: cultura, sociedade, arquitetura, decoração, gastronomia, moda, entretenimento e muito mais!

Faça um comentário