Turistando

Mori Venice Bar: o must da gastronomia italiana em Paris!

Alma Baiana
Escrito por Alma Baiana

Ele é uma daquelas instituições da alta gastronomia que, para além do brilho, é referência de uma cidade. Localizado no 2⁰ distrito da Cidade Luz, numa esquina da Bourse, a bolsa de valores, o Mori Venice Bar é um pedaço da Itália, precisamente da região do Vêneto, em Paris, uma das capitais gastronômicas do mundo. Decorado com extremo bom gosto em ambiente barroco e refinado, pelo renomado designer e arquiteto francês Philippe Starck, mesclando o antigo e o moderno, ele tem à sua frente um apaixonado e sempre presente proprietário, Massimo Mori.

Nascido em 1956 em Viadana Brescello, Massino Mori trouxe para Paris a autêntica cozinha do Vêneto

 

Mori acaba de receber a prestigiosa distinção da Accademia Italiana della Cucina Giovanni Nuvoletti 2020, instituída em 1953 para os que honram a cozinha italiana mundo afora, e contribuem para a sua radiação no mundo. Já em 2015, quando da Exposição Universal de Milão, recebeu o prêmio de referência de melhor cozinha italiana do mundo! Desde sempre, ele segue à risca as recomendações do grande crítico de gastronomia Orio Vergani, que são a qualidade dos produtos, o respeito às receitas e a tradição da cultura tanto dos que as praticam como dos que as servem. Alessio Pedrotti é o diretor do estabelecimento, e um dos maîtres é o brasileiro Henrique Dias Jr.

O diretor do restaurante Alessio Pedrotti prepara o aperitivo spritz à mesa

 

O Mori Venice Bar foi aberto em 2006 para uma clientela que preza pela qualidade, e é frequentado pelo tout Paris, como a galerista brasileira Denise Zanet e seu marido Philippe, da Initial Labo (www.initiallabo.com), e a jornalista e influencer mexicana Patricia Liogier de Sereys, do site Paris SVP (https://paris-silvousplait.com/).

O casal Denise e Philippe Zanet e Patricia Liogier de Sereys são gourmets, fãs do Mori e frequentadores assíduos

.
chef é Matteo Cattaneo, de Saronno, na Lombardia. Oferece um menu regional do Vêneto, tradição que começou na Renascença, em Veneza, pelas famílias nobres, tendo em seguida se espalhado para a Toscana, e depois, Roma. “Não sou um homem de prêmios e medalhas, mas fico lisonjeado com um reconhecimento como este, da Accademia. E você trazer tudo isso para um lugar como Paris, com tantos restaurantes, uma cozinha de identidade, que necessita de um trabalho de especialista”, diz Mori.
.
.
O chef Matteo Cattaneo assina o apreciado menu
.
Seu pai é de Veneza, fabricante de calçados de alta qualidade, e a mãe de Mantova, dona de casa e exímia cozinheira. Caçula da família, Mori conta: “Como todos os filhos do pós-guerra, nós continuávamos os trabalhos dos pais. E tenho uma personalidade forte em liberdade, entrei para a Escola de Hotelaria Bellagio, no Lago de Como”. Desta base familiar e da formação educativa, depois de experiências profissionais de sucesso, ele resolve se estabelecer em Paris. “Eu não quero seguir a moda, mas o tempo. O homem não segue a cozinha, a cozinha segue o homem”, filosofa.
.
Entradas e pratos do aplaudido e premiado menu: fritura mista de mariscos, tamarino d’autunno, risoto ao nero di seppie e as massas ao funghi e ao vôngole
.
.
No bairro emblemático de Saint-Germain-des-Près em 1998, fundou o Emporio Armani Caffè e Ristorante, de cozinha mediterrânea e contemporânea, cuja direção hoje está a cargo do seu filho Matthieu. Seu chef, desde 2016, Massimo Tringali, de origem siciliana, tem uma estrela no Guide Michelin, a bíblia da alta gastronomia na França.
.
O preço médio por pessoa no Mori Venice Bar é de 90 euros. Horários, menus e mais informações: www.mori-venicebar.com.
.
Buon appetito!
.

* Por Duda Tawil, texto e fotos, correspondente do Alma Baiana na França

Sobre o Autor

Alma Baiana

Alma Baiana

O que acontece de interessante na Bahia: cultura, sociedade, arquitetura, decoração, gastronomia, moda, entretenimento e muito mais!

Faça um comentário