Turistando

O espetacular Museu Narbo Via, em Narbona, na França

Alma Baiana
Escrito por Alma Baiana

Desde maio passado, a França integrou ao seu fantástico patrimônio artístico e cultural um novo museu: foi inaugurado na cidade de Narbonne, no sudoeste do país, o espetacular museu de arqueologia, o Narbo Via. Ele é dedicado aos vestígios e coleções da Narbo Martius, cidade da Antiguidade que deu origem ao atual município, uma capital romana extinta e reconstituída graças às escavações empreendidas, e às tecnologias computadorizadas. Foi a primeira cidade da Gália romana, onde hoje se situa o território francês, fundada em 118 a.C.

O Muro Lapidar abre o museu com 760 blocos numa galeria de estrutura metálica, digitalizados em terminais computadorizados e explicativos em 3D

 

Seis meses depois da sua abertura, o museu conta agora com mais de 60 mil visitantes, sedentos por história. Está dividido no museu em si, galerias subterrâneas e sítio arqueológico. Todo o percurso está traduzido em painéis em três línguas, pois além do francês, estão em inglês e espanhol. Somente o museu possui 2600 metros quadrados para as peças expostas, uma coleção excepcional de 1300 obras, das quais 760 fragmentos.

O mosaico de Baco no átrio das casas do mundo romano

 

De maneira didática, o percurso permite descobrir a cidade romana em seus diferentes aspectos, como sua organização social, urbanismo, casas e objetos decorativos, tanto dos edifícios como pessoais e do dia a dia. Sem esquecer a sua importante vida econômica, voltada para o comércio, devido sobretudo à sua privilegiada e estratégica localização portuária.

Narbona, em português, na época próspera cidade portuária, fica hoje localizada a 15km do litoral mediterrâneo, no Departamento de Aude, região da Occitânia. Está a uma hora da Espanha e a 849km de Paris. A população é de 53.500 habitantes.

Acervo reconstitui a vida social e personagens da Narbo Martius

 

“Sileno bêbado”, uma das peças recuperadas dos monumentos da cidade desfeita

 

Concebido pelo arquiteto Norman Foster, o museu já é emblemático na vida cultural de Narbona e uma visita imperdível, onde pulsa a vida. Ele se multiplica através de uma programação variada, que inclui seus jardins com espetáculos e outros eventos ao ar livre, uma livraria, um auditório de cerca de 200 lugares, butique para produtos regionais como vinhos e óleos de oliva, e, em breve, um restaurante. Internamente, já existe em atividade um centro de pesquisas arqueológicas, com seu ateliê de restauração, salas de estudos e um depósito para coleções e mobiliário.

Livraria e butique: álbuns, livros, catálogos, fotos, quadros, esculturas e produtos regionais

 

Atualmente, e até 31 de dezembro vindouro, o museu propõe a exposição temporária “Veni, Vidi…Bâti!” sobre o passado glorioso da Roma Antiga, e sua fabulosa herança cultural. No próximo sábado, dia 20, será a vez da visita temática “Archi romain, archi contemporain!””, um diálogo entre as arquiteturas romana e contemporânea.
O museu fecha às segundas-feiras, e demais informações no seu site: www.narbovia.fr
.
.

* Por Duda Tawil, texto e fotos, correspondente do Alma Baiana na França

Sobre o Autor

Alma Baiana

Alma Baiana

O que acontece de interessante na Bahia: cultura, sociedade, arquitetura, decoração, gastronomia, moda, entretenimento e muito mais!

Faça um comentário