Alma News

Tempero Bahia encerra a edição 2021 em clima de sucesso

Alma Baiana
Escrito por Alma Baiana

Em um cenário de retomada otimista, o Festival de Cultura e Gastronomia Tempero Bahia aqueceu o setor cultural, gastronômico, turístico, artístico e musical, durante 11 dias, na capital baiana. Com a presença de 28 restaurantes, que somaram forças com mais dois territórios, São Paulo e Lisboa, o selo do Tempero Bahia saiu de Salvador e abraçou o mundo.

“Vejo a realização do Festival como um acontecimento positivo para o setor cultural e para a movimentação da economia criativa”, afirma André Curvello, secretário estadual de Comunicação. “Agora, passado o Tempero Bahia, vamos temperar o destino de Praia do Forte, com o Festival Tempero no Forte, em novembro deste ano”, afirma Djanira Dias, produtora e organizadora do evento.

Um dos grandes acontecimentos, em novo formato, moderno e seguro, a Música Instrumental, ecoou sonoridades afinadas e de qualidade em sua programação de shows instrumentais a bordo de um pranchão elétrico, no Centro de Convenções de Salvador.  “O novo formato “drive in” com lounges, mostrou que é possível acontecer até após à pandemia, pois traz segurança, conforto e qualidade musical, que deram o tom do evento”, pontua Curvello.

A Cozinha Show, totalmente online, recebeu chefs de Salvador e do Brasil, com aulas, receitas e dicas deliciosas, garantindo ser uma das atrações mais cobiçadas que despertam o interesse do público, como aconteceu com um número relevante de participantes nas lives. Estreante no evento, o premiado chef Fabrício Lemos participou com seus dois restaurantes: Omi do Fera Palace Hotel e Ori. O saldo, para ele, foi muito positivo. “A experiência foi muito boa em ver que conseguimos depois dessa retomada participar de um evento que estimula a criatividade e traz uma movimentação extra ao setor”, afirma Lemos.

O chef teve destaque também em uma das aulas da Cozinha Show, o qual considerou como o grande ponto alto. “Compartilhar conhecimento, nesta parceria do Tempero com o Senac, em aulas muito bem estruturadas, com acessibilidade onde pudemos compartilhar conteúdos bacanas. Isto me motiva de verdade”, disse.

No Rio Vermelho, o Varanda Gourmet, do chef Sandro Borges, reconhece a importância do festival e as marcas que ele deixa. “Nossa participação foi incrível e surpreendente. Os pratos tiveram uma grande saída. Como sempre, apaixonado pelo evento, que desta vez marcou a nossa reabertura desde o início da pandemia. Meu desejo é sempre fazer parte”, comemora Sandro.

Outro participante, o Restaurante Bella Napoli, obteve êxito de vendas do prato Nhoque de mandioquinha com camarões, e segundo o próprio estabelecimento, a intenção é introduzir o prato do festival no cardápio pelo fato da grande aceitação do público. “Nossa participação foi ótima e o evento estimulou o processo criativo”, revelou Gian Angelino, gestor do Bella Napoli.  No Centro Histórico de Salvador, o Cuco Bistrô ganhou elogios dos visitantes em relação ao prato criado pelo chef João Silva, o Cruzeiro de São Francisco e o Restaurante Donana, em Brotas, teve muitos pedidos do público para manter o Sarapatel de Frutos do Mar, no cardápio do restaurante.

O Tempero Bahia faz parte da Etapa Salvador do Projeto Tempero no Forte, inscrito na Lei de Incentivo à Cultura, com organização e produção da 2D Projetos Culturais e Eventos. É uma realização do Governo Federal, através da Secretaria Especial da Cultura e do Ministério do Turismo, com patrocínio do Super Bompreço e Ticket, e apoios do Governo do Estado da Bahia, Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura de Salvador, Centro de Convenções Salvador, Sebrae Bahia, Senac, Bahiagás e ITS Brasil.

Foto: Marcus Claussen

Sobre o Autor

Alma Baiana

Alma Baiana

O que acontece de interessante na Bahia: cultura, sociedade, arquitetura, decoração, gastronomia, moda, entretenimento e muito mais!

Faça um comentário